Elevador: Balanceamento da cabine e contrapeso. O que é isso?

O sistema de tração dos elevadores de passageiros é concebido para evitar que os cabos de aço se prendam ou se entrelacem, pois isso causaria sérios transtornos aos passageiros com trancos e quedas súbitas com perigo de acidentes graves.

O uso de carreteis que enrolam o cabo em elevadores ou guinchos de carga, são proibidos em elevadores de passageiros.  As Normas são claríssimas sobre isso.   Porque?

Um carretel enrolando um cabo pode apresentar duas condições de acidentes graves:

  • O cabo sendo enrolado pode formar um calombo de cabo sendo enrolado sobre ele mesmo e quando o calombo fica muito alto ele desaba, provocando queda súbita de alguns metros da cabina e forçando o cabo quando cessar a queda, podendo até arrebentar. Além disso, carreteis não são bons quando se quer enrolar 3 ou 4 cabos neles.  Forma-se uma confusão…
  • Se, por algum motivo, a cabina sendo erguida se prender nos trilhos e ficar entalada, o carretel continuará sendo enrolado e forçara o cabo até ele se partir, provocando a queda da cabina e matando os passageiros. Se a cabina se entalar na descida o cabo continuará sendo desenrolado e ficara solto sobre a cabina.  Qualquer movimento dentro dela que a faça se soltar, ela cairá também pois não há mais cabos sustentando-a.

Portanto, usar carretel num elevador de passageiros, nem pensar!!!

A Normas especificam o uso de Polias de tração por atrito.   Os cabos que sustentam a cabina passam pelos sulcos da Polia de Tração e vão se prender na outra extremidade num contrapeso.  A tração ou movimento do motor gira a Polia e é transmitida aos cabos pelo atrito que estes formam com o sulco da polia, ou seja, eles não escorregam nos sulcos e são movimentados pela Polia.

Na verdade, estes sulcos na polia são em formato de “V” para aumentar ainda mais o atrito deles com os cabos.

 

A Polia oferece segurança máxima:

  • Não cria calombos de cabos empilhados sobre si mesmos.
  • Se a cabina entalar nos trilhos, na subida, os cabos deslizam pois o atrito foi calculado para suportar só o peso da cabina.
  • Se a cabina entalar nos trilhos, na descida, os cabos ao se afrouxarem devido a perda de peso da cabina, começam a deslizar também.
  • Além de tudo isso, o equilíbrio de peso entra a cabina e o contrapeso, alivia o esforço que o motor precisa fazer para mover a cabina.
  • Agora, um único perigo existe se o equilíbrio de peso estiver muito errado, ou seja, o contrapeso for muito mais leve que a cabina, o atrito vai diminuir muito nos sulcos. Ao entrarem muitos passageiros na cabina, ela pode causar o escorregamento dos cabos na Polia e “cair” até bater na mola do fundo do poço no subsolo.   Muitos passageiros podem se machucar.

Segundo a Norma o peso do contrapeso deve ser igual ao peso da cabina com dois passageiros (150 Kg.)

Se o seu elevador não consegue subir com o número máximo de pessoas que está escrito na cabina, ele certamente está desbalanceado.  Peça para balancearem.